sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Por você

Não é o que você faz por mim, é o que você está fazendo e não faz nem por você normalmente. Isso é amor. 

domingo, 24 de novembro de 2013

Cabelos curtos

Não resisti e estou postando o artigo na íntegra. 
Por Everton Maciel
Antes de Nero incendiar Roma, ele teria ordenado:
“Preservais nossos monumentos sagrados. Não ateais fogo nos templos de Júpiter, Apolo e Marte. Manteis intactas, para serem veneradas pela eternidade, todas as mulheres de cabelo curto”.

Não existe alguém totalmente louco. Nem Nero. Todo mundo que é louco não passa de “meio louco”. Explico: metade do tempo o indivíduo está louco e a outra metade está se aproveitando da sua condição de louco. Mesmo Nero, no ápice da sua sandice, sabia o que devia respeitar. Mulheres de cabelos curtos exigem sobriedade, inclusive dos loucos.
Uma mulher de cabelo curto é o seguinte: ela tem uma informação para te dar; e ela não pergunta se você quer ser informado. Mulher de cabelo curto, simplesmente, informa. O resto que se dane. Mulher de cabelo curto diz o seguinte: eu tenho minha autoestima no lugar e não preciso de nada que venha de você.
A mulher de cabelo comprido precisa de algum artefato histórico para se manter próxima da sua feminilidade. Algo como um tipo de identidade socialmente especial. Parece um advogado que conheci no século passado. Quando era parado por uma blitz de trânsito o cara apresentava a carteirinha da OAB, no lugar da CNH. Mulher de cabelo curto não precisa de atestado protocolado em cartório para ser mulher. Ela não precisa daquela sensação pré-civilizatória de ser puxada pelos cabelos por um hominídeo com tacape na mão.
Toda velha sensata se torna uma mulher de cabelo curto. Toda velha biruta mantém as crinas compridas, enormes, atrasando o processo darwinista de evolução da espécie.
Quanto mais velho melhor. A comparação entre a idade das pessoas e dos vinhos é parcialmente verídica. Como qualquer coisa parcialmente verdadeira também é parcialmente falsa, sugiro que possamos aprimorar a endoxa. Mulheres são como os vinhos. As boas, quanto mais velhas, melhores. As ruins, com o tempo, viram vinagre. Idênticas aos vinhos. Mulher de cabelo curto é bebida fina. É pinot noir 2008. É a diferença entre uísque e scotch! É preciso ter qualidade de puro malte para o processo de maturação se adiantar ao envelhecimento pelo calendário gregoriano. Já viu mulher de cabelo curto preocupada com o calendário gregoriano? Convenções e engendramentos sociais? Bem capaz! A mulher de cabelo curto é um scotch 12 anos com maturação de 18.
Vinhos, scotchs e mulheres de cabelos curtos. Eis aquilo que separa os homens das codornas. A loira gelada, e geralmente cabeluda, é o melhor que um menino pode querer. Um dia, todo mundo se acostuma com o que pode vir a ter na vida. Meninos acham mulheres cabeludas o máximo. São codornas. Não foram apresentadas aos scoths e a uma mulher de cabelo curto. Mulher de cabelo curto não serve para publicitário fazer roteiro de propaganda de cerveja.
A mulher de cabelo curto entra em qualquer lugar como se ela fosse dona. Mulher de cabelo comprido precisa virar o pescoço para olhar com atenção. Mulher de cabelo curto só precisa mover os olhos. Mulher de cabelo comprido precisa ter atenção. Mulher de cabelo curto chama atenção por onde passa.
Não há nada para atrapalhar uma mulher de cabelo curto. Nem loiras geladas. Nem codornas mimadas.
A personalidade da mulher de cabelo curto é como um tipo especial de olho azul: ou nasce com, ou vive uma vida toda admirando no rosto dos outros. Mulher de cabelo curto não escolhe cortar o cabelo. Seria como colocar lentes de contato e pagar o preço do papel ridículo. A nós, homens, resta o esforço de procurar mulheres com personalidade.
E a sorte para encontrar uma mulher de cabelo curto.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Look at the stars

Feliz da vida... consegui ver hoje no céu Mintaka, Alnilam e Alnitak, M42 (nebulosa de Órion), Rigel, Saiph, Bellatrix, Betelgeuse, Aldebaran, e Sirius... pena que não está tãoooo bom o suficiente para ver Meissa. Ainda assim, ganhei a noite. 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Feelings

I haven't told you that day. But the most important thing is how you still want to protect me, embrace me and kiss me after all my ups and downs, after so many tears cross my face, and after I seem to runaway from feelings.

Couldn't help to think about this song :P

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

=x

Mais do que nunca, não me sinto no direito de reclamar de dor, de cansaço. 

domingo, 17 de novembro de 2013

Espelhos

Foi sempre o seu olhar que me fisgou. 
Aquela situação dos tímidos: olhei tudo ao redor, fazendo análise do território. Os pensamentos corriam depressa, ocupando a mente, jeito nosso de quebrar a solidão em meio a toda gente. Nessa rápida vasculhada, pousei meus olhos nos olhos de um desconhecido. Nunca prestei atenção para que direção olhava. Certamente não para mim. Se assim fosse, talvez eu tivesse sorrido. E jamais achei que teria aquele par de espelhos voltados a mim, desse jeito, que hoje eu fito e me enxergo lá dentro, sabendo que ali pertenço.
Hoje seus olhos, porém, quando o admirava, não me contemplavam. Você olhava para seu interlocutor, e conversavam. Mas não pude desgrudar minha atenção dos seus olhos. Eles sempre me encantam. 
Acho que se algum dia não puder mais me ver refletida nesses espelhos escuros esféricos meu chão irá ceder e meu coração se partir, em cacos tão minúsculos como poeira atômica. 
Espero que me perdoe pelas vezes que fico zangada com você... principalmente quando é porque falho justamente em protegê-lo, ficando com raiva de mim mesma por ser uma namorada tão incauta. 
Não quero perder de vista esses olhos seus...